O custo da rede de valor nos ecosistemas maduros de empreendedorismo

Anotações pessoais do Taboca em 19 de maio de 2016, durante o evento How to Start a Startup in Ribeirao Preto.

Por uma colaboração mais rápida, dinâmica e sem entraves no ecossistema

Durante o evento intitulado How to Start a Startup in Ribeirao Preto, eu achei fenomenal que o empreendedor Raulo Ferraz, do Hippo Drs, comentou sobre fatores relevantes que impulsionam os ecossistemas de empreendedorismo — especificamente trouxe o assunto do acesso e velocidade da colaboração. Raulo disse que nossa cultura local ainda precisa entender como responder mais ativamente nessa questão. Na mesma sessão, o empreendedor Marcio Campos, da PagPop não só reconheceu a questão mas também apontou o exemplo — indicou que o próprio Raulo entrou em contato e pediu uma reunião com ele; eles marcaram a reunião muito rápido, tipo "para a próxima semana" ou senão na mesma semana.

Esses pontos são interessantes e reais características de verdadeiros ecossitemas. Em A Conceptual Framework for Software Startup Ecosystems: the case of Israel, os autores indicam que empreendeores e profissionais de Israel reconhecem um sistema, ou rede cultural, de troca de ideias (network culture of freely exchanging ideas). Neste artigo, um CTO indicou que "Connections are free in Israel". Em outro caso, empreendedores indicam como foi simples chegar até o pessoal do Waze para obter ideias sobre como fazer uma infraestrutura escalável.

Mgalli.com / Marcio S Galli

Entusiasta do mundo da tecnologia e do empreendedorismo, seu objetivo é produzir projetos que ajudam as pessoas a descobrir seu potencial criativo. Acredito no poder das boas companhias e no trabalho como forma de melhorar o mundo ao nosso lado. Se é possível trabalhar aprendendo, então pode-se reinventar as próprias condições para um mundo melhor. Tecnologia não é o fim. O fim é o trabalho e o trabalho deve permitir viver o potencial melhor da vida.

Made with ❤ by Marcio and ReSite